Matéria sobre Captação de Água da Chuva para o Estadão

Nos últimos cinco anos aumentou a procura por casas verdes, que promovem o uso racional da água.

COMO-CAPTAR-AGUA-DE-CHUVA

rafael-loschiavo-sustentavel-estadao-sao-paulo

 

Com planejamento e boa vontade é possível promover reformas que trarão vantagens quase imediatas aos moradores, quando o assunto é consumo de água. Mas equipar uma casa com dispositivos que reduzam os gastos significa investir um pouco mais do que em um modelo padrão.

De acordo com estimativas de Cláudio Riva, da Projetar, empresa que calcula custos em empreendimentos imobiliários, transformar um imóvel convencional de 500 metros quadrados em uma casa sustentável pode sair por cerca de cinco mil reais, no mínimo. Mas essas medidas acabam gerando economia.

No Brasil, são poucas as casas ou condomínios residenciais que já nascem com projeto sustentável para o uso da água – o que seria mais barato e viável do que reformar para esse fim. “Na Espanha, as prefeituras só aprovam projetos que tiverem alguma medida ecoeficiente, diz o arquiteto Rafael Loschiavo, de 30 anos, que trabalha com arquitetura sustentável em São Paulo.

Embora o mercado nacional ainda seja pequeno, o interesse vem crescendo muito nos últimos cinco anos. “Os pedidos dentro do escritório estão aumentando. Com o crescimento desordenado das cidades, as pessoas têm buscado formas de resgatar a natureza”, diz o arquiteto.

De acordo com Loschiavo,  fazer a adaptação para economizar água não é um processo complicado, pois a maioria das casas já possui um sistema de coleta, na forma de calhas.

Com a instalação de tanques para captação é possível acabar com os gastos para regar o jardim e, de acordo com o tamanho do tanque, direcioná-lo para um reservatório, onde a água ficará disponível para reúso ou até mesmo para as descargas dos banheiros.

A captação não precisa ser vinculada apenas à chuva. Dá, por exemplo, para levar tubulação das pias para os reservatórios.

A água usada para lavar as mãos pode ser aproveitada nos vasos sanitários.

Com a instalação de um filtro no reservatório é possível limpar as impurezas. Essa água pode ser reaproveitada na limpeza de

pisos ou também na irrigação, por exemplo, de um telhado verde. Segundo Loschiavo, isso representa cerca de 45% do uso de água de uma residência.A adoção de dispositivos (ver quadro)também impacta no consumo, como a instalação de caixas d’água de bacias sanitárias de fluxo duplo, redutores de vazão e sensores nas torneiras.

Porém, em uma residência é preciso estar atento aos banhos demorados, responsáveis pela maior parte do desperdício. Dez minutos a mais sob o chuveiro consomem 100 litros de água potável.

Texto: Bárbara Bretanha

FOTOS: Ecoeficientes

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: